07/10/2021 - Tempo dos Blocos Vinícius Louro Vinicius Louro

Vinicius Louro

Aniversário: 24/01
Profissão: Empresário

Discurso - download do áudio



O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO (sem revisão do orador) - Senhor Presidente, senhoras e senhores deputados, internautas, telespectadores da TV Assembleia, funcionários deste Poder. Senhor Presidente, o que me traz hoje aqui a esta Tribuna, primeiro, é para falar do grande evento político que houve na cidade de Bacabal, deputado Carlinhos Florêncio, eu acho que V. Exa. teve conhecimento já que V. Exa. é um deputado lá da cidade de Bacabal junto com o deputado Roberto Costa e outros deputados, mas foi o maior evento político que aquela cidade já viu, foi um evento organizado pela família PL, pelo nosso Deputado Federal Josimar de Maranhãozinho, nosso pré-candidato a Governador, pela sua esposa Detinha, com a ajuda dos Deputados Estaduais, Deputados Federais, onde envolveu mais de 800 vereadores do Estado do Maranhão. E os prefeitos de outrora tiveram na residência do Josimar de Maranhãozinho, também participaram levando seus vereadores. Foi grandioso, foi gratificante, foi o momento histórico não só para a cidade de Bacabal, mas para o Estado do Maranhão, haja vista que nunca um pré-candidato ao governo pôde estar reunido com a classe de parlamentares municipais do Estado. Aqui Vossas Excelências, como o Deputado Arnaldo, Deputado Hélio Soares, pessoas mais experientes na política do Maranhão, sabem o que eu estou dizendo aqui porque os vereadores são os para-choques do povo, do prefeito, é quem está ligado diretamente com a população, trazendo as demandas para os prefeitos, o chefe do Executivo, poder resolver. Nunca foi visto, no Estado do Maranhão, por nenhum aqui hoje que se diz pré-candidato ao governo. O Deputado federal Josimar de Maranhãozinho, começou diferente, começou mostrando porque sabe da importância, é um deputado federal municipalista, a sua esposa também já foi prefeita, é uma deputada municipalista. E eu digo que é o único casal hoje na política em que ambos já foram prefeitos, os dois já foram prefeitos e ela, deputada estadual, batendo recorde como a mulher, a deputada mais bem votada do Estado do Maranhão. E o Deputado Josimar batendo dois recordes, como o deputado estadual mais bem votado do Maranhão e agora o deputado federal mais bem votado do Estado do Maranhão. Então, quero agradecer a participação de todos os vereadores do Estado, quero aqui também agradecer a participação dos prefeitos que ali estiveram presentes em nome do Prefeito Alexandre Lavepel, da cidade de Conceição de Lago-Açu, e agradecer a organização, um evento que ficou na história e que chamou muito a atenção da população do Maranhão. O crescimento do Deputado federal Josimar de Maranhãozinho ao Governo do Estado do Maranhão é um crescimento notório, é um crescimento que está chamando a atenção da população, dos vereadores, dos prefeitos, da classe política. O Josimar tem se destacado muito. O Josimar de Maranhãozinho e sua esposa Detinha são pessoas do bem, são pessoas que sempre trabalharam em prol da população. Ele foi o campeão de emendas no Brasil, trazendo para beneficiar a população do Maranhão, mas, em todas as cidades, Deputado Ariston, Deputado Fábio Braga, vejam lá as obras bem-feitas, concluídas, não são obras fantasmas, não são obras como outras no Estado do Maranhão, inacabadas, obras que nunca foram pagas, lá não, todas as obras foram auditorias, em todas as obras o Governo Federal esteve lá, bancou, e estão lá as obras bem-feitas nas cidades, beneficiando a população. O que me chama a atenção, senhores deputados, é que, depois de um grande evento, desses dois grandes eventos, depois do crescimento do Deputado federal Josimar de Maranhãozinho ao Governo do Estado do Maranhão, parece-me agora e me chama a atenção, por isso trago essa reflexão para os senhores e para as senhoras, uma operação aí da polícia do Estado do Maranhão na residência do Deputado federal Josimar de Maranhãozinho. Isso me estranha muito até porque, até hoje, não foi colocado o objeto dessa operação. O que eu entendo é que um Deputado Estadual para se ter uma ordem expedida para invadir a sua residência tem que ser por meio do Tribunal de Justiça, um Deputado Federal para ter uma ordem pra invadir a sua residência tem que ser por meio do Supremo Tribunal. E ali entraram por meio de um mandado de busca e apreensão, emitido por um juiz singular e também o mesmo, salvo engano, não tem a decisão e mostrando o objeto da operação, quando se fala que a empresa ali que o deputado federal é sócio, em 2018, ele não era sócio da empresa, se hoje inventa-se desculpa para invadir a residência, porque na época a investigação veio de 2018, ele já era deputado estadual. Então, está me chamando muito a atenção e o que eu vejo é um Maranhão que pode tudo acontecer e um Maranhão que as pessoas, hoje, estão vendo de outros olhos o que está acontecendo, principalmente na classe política, principalmente na política maranhense. Nós não podemos fazer política dessa forma, nós temos que fazer política é na democracia, é no poder de convencimento, é no poder do trabalho e principalmente levando o que há de melhor na classe política, é o compromisso, é a palavra, que isso o Deputado Federal Josimar de Maranhãozinho tem. É quando ele fala você pode escrever que irá acontecer, não que nós temos visto acontecer que muita conversa, muita promessa, e esse Parlamento hoje está como está, justamente, porque aqui não temos pessoas de palavras que vêm cumprindo com o Parlamento Estadual. Acredito que todos os Senhores Deputados Estaduais, como eu, que estou aqui desde uma legislatura passada, nós tivemos aqui compromisso com o povo, com a população, e principalmente no poder da convicção dos nossos votos, mas a palavra dada a este Parlamento, até hoje, não foram cumpridas, e os Senhores Parlamentares sabem. E é por isso que aqui a Assembleia Legislativa, está de joelho, está desmoralizada e isso eu tenho dito em todo o Estado do Maranhão, e falo aqui, infelizmente, a Assembleia Legislativa, quando Vossas Excelências vão para as suas bases levar algum tipo de obra, vocês não têm. Eu pergunto a Vossas Excelências: quais foram as obras que vocês levaram para a cidade de vocês? Porque sempre quando tem uma pessoa na frente. Qual foi o recurso que Vossas Excelências levaram para as cidades de vocês? Porque quando levam, não é pago 100%, está lá o município e as obras atrasadas. E nós temos que chamar atenção, e pedir, porque a Assembleia Legislativa, Deputado Hélio Soares, cumpriu com seu papel. A Assembleia Legislativa cumpriu justamente com o que foi acordado, e agora a Assembleia Legislativa simplesmente é a última a ser vista. A Assembleia Legislativa agora, nós estamos acompanhando aí a desmoralização, a Assembleia de joelhos, e isso que nós temos que chamar atenção. Eu quero me solidarizar ao Deputado Federal Josimar de Maranhãozinho, ao nosso pré-candidato a Governador, Josimar de Maranhãozinho, pela sua postura, por sua honradez, pelo seu compromisso, pela sua palavra empenhada e cumprida, porque eu sei que não é fácil, hoje a forma que estão levando a política, uma pessoa ter essa coragem, como Deputado Federal Josimar de Maranhãozinho está tendo. E digo mais, atentem, Vossas Excelências, atentem os Senhores Prefeitos, Senhores Vereadores, os Senhores Deputados Federais, atente a classe política, porque o que aconteceu com o Deputado Federal Josimar de Maranhãozinho pode acontecer com todos Vossas Excelências

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO – Deputado Vinícius, nesse mandado de busca e apreensão, tinha o nome do deputado? Tinha nominalmente citado o Deputado Josimar?

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Deputado Yglésio, eu estive lá, posteriormente à operação, conversando com a Detinha, me solidarizando até porque a Detinha estava sozinha na sua casa, o deputado federal estava viajando, com as crianças, quando a porta foi arrombada, já um aparato de comunicação, de televisão, parecia, vamos dizer assim, que estava sendo gravado um filme: era drone, era helicóptero, chegaram junto com a polícia e tudo. E na busca e apreensão, o que me chama atenção é que tinha o nome do deputado por completo, mas já entendendo onde V. Ex.ª quer chegar. Eu acho, Deputado Yglésio, quando é denominado um nome de uma pessoa, a polícia tem que também averiguar quem é essa pessoa. Então, assim, ah, porque o juiz colocou o nome como se fosse uma pessoa comum, do povo, a pessoa é deputado federal, eu tenho o meu nome que é Marcos Vinicius de Oliveira Pereira, mas tem meu nome que eu uso, digamos assim, de guerra, que é Vinicius Louro. De batismo e na política. Então, isso me cheirou muito estranho. A gente tem que chamar a atenção porque a política não pode ser judicializada.

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO – É justamente por isso, assim, porque, pelo que entendi, eles fizeram uma delimitação de 2014 a 2018, em relação aos eventos. Então, assim, o Deputado Josimar, nesse período, era deputado estadual. Era estadual nesse período, né?

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – E não era sócio da empresa.

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO – E não era sócio da empresa. Pois é. Então, assim, parece-me que era questão de um desembargador que deveria ter despachado, até pela, minimamente, um desembargador, correto?

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Correto.

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO – Então é estranho. Eu não estou em defesa do Deputado Josimar.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Eu sei disso, deputado.

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO - Até porque não tenho relação nenhuma com o Deputado Josimar, ele já andou tomando umas duas bases nossas aí para o grupo dele, mas faz parte do jogo. Mas é como V. Ex.ª pinçou uma coisa que é interessante e que assim, se esta Casa Legislativa não começar a se posicionar em relação a essas situações, porque há uma evidente violação de prerrogativa, sem dúvida.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Sem precedentes.

O SENHOR DEPUTADO DR. YGLÉSIO – É claro. Se a gente começar a naturalizar isso aí, daqui a pouco, até porque, dentro do que se espera, a casa de um deputado estadual, de uma deputada estadual, de um deputado federal, um helicóptero é feito para contenção, para manobra de fuga, para uma série de coisas que a gente não entende de fato. É uma mobilização cara, um voo desses de helicóptero, com certeza, não deve ter custado aí menos de R$ 15, R4 20 mil, com recursos públicos utilizados de uma maneira um pouco fora da realidade. Eu concordo com V.Ex.ª e me parece uma postura excessivamente policialesca do Gaeco junto com o pessoal da Polícia Civil. Eu acho que não... Um quadro, desde 2014 a 2018, uma delimitação de tempo, nesse período uma operação desse tamanho, me parece realmente uma tentativa de tentar prejulgar, de aumentar a rejeição no período eleitoral, acho que isso tem que ser feito com muito cuidado, a Lava-Jato já mostrou aí o quanto se pode destruir reputações de pessoas, algumas culpadas e outras não culpadas, algumas inocentes de verdade que foram retiradas, mas pessoas que tiveram as suas vidas destroçadas por esse tipo de situação. Aí o “lavajatismo” chegar ao Maranhão, não! Se o deputado Josimar, eventualmente, cometer algum delito que seja investigado, os meios adequados, resguardadas todas as suas prerrogativas e seus direitos constitucionais acima de ser deputado, cidadão, de fato, direito à inviolabilidade da vida íntima, domicílio, joias foram fotografadas, vazadas na internet, a gente já tem uma legislação toda em cima de abuso de autoridade, que isso aí tem que ser coibido, isso não deveria acontecer, patrimônio privado das pessoas foi exposto, prioritariamente, sem qualquer tipo de resguardo, então isso aí para mim é material de autos, eventualmente. Então me chamou a atenção, acho que todo deputado aqui, independente de ser de base de governo ou não, nós somos Poder Legislativo, nós aqui somos Poder Legislativo, nós somos fiscalizadores desses abusos e dessas ações. Então, quando a Casa, ela termina sendo atropelada por ações de governo, do ponto de vista de polícia e de Ministério Público, a gente tem que ficar aqui muito atento a isso. Tive a oportunidade de ler aqui a representação que foi enviada em relação ao Deputado Wellington, eu já fui vítima duas vezes de tentativa de processo por opinião em tribuna, duas vezes por defensor público, uma não foi nem citada nominalmente, o outro também não, incurso em comentário na internet, assessor meu que trabalhava comigo foi processado, hoje está pagando indenização porque estão tentando calar, a fala do parlamento, as nossas prerrogativas estão sendo atacadas, hoje, a gente tem um Executivo, um Poder Executivo, nacionalmente, que tem uma caneta do financeiro, nós temos o Judiciário que está atentando contra direitos, prerrogativas das pessoas e está violando também prerrogativa do Legislativo. Então assim, se toda vez que acontecer uma coisa como essa, a Assembleia ficar calada, daqui a pouco, a gente está com medo de subir à tribuna para defender pautas que são da população, muitas vezes, teve uma situação que em relação a um defensor público que concorreu ao cargo de defensor-geral, chegou para mim uma denúncia de que ele foi investigado na CPI da Pedofilia, aqui, eu trouxe para a minha rede social, porque eu acho relevante que o Governador do Estado, antes de decidir um cargo, ele faça uma avaliação da vida das pessoas, eu não citei nome de ninguém, eu não fiz ataque nenhum, eu citei o fato do que foi colocado na CPI, e aí o que acontece? Me processa. Se a gente começar aqui, nós que somos investidos de um mandato popular, temos aqui 30, 40 mil votos, 20 mil votos, 20 mil pessoas depositam, lhe outorgam a possibilidade de você representar, a gente sobe à tribuna para ter inviolabilidade de palavras, de opiniões, de votos, nós somos invioláveis para poder defender a população, e como somos humanos, uma ou outra vez, nós nos excedemos em palavras, nós temos sentimentos, dentro das nossas casas, na rua, a gente se estressa, nós somos seres humanos como qualquer um, e aí, no momento como a gente recebe toda essa carga do clamor popular, a gente sobe e perde os nossos direitos? Isso aí a gente não pode permitir acontecer, da mesma forma, um deputado federal se cometeu crime ou não, o processo legal vai mostrar, mas essa tentativa de pré-julgamento num momento que a única situação que tem colocado é que o Josimar está se colocando na candidatura ao governo, o que é legítimo, ele tem direito de colocar a candidatura dele. Se tem crime, a justiça investiga, mas respeitando as prerrogativas. Se a Deputada Detinha estava em casa, se tem uma ligação com alguma coisa, é o TJ; se tem alguma coisa em relação ao Deputado federal Josimar, são Tribunais Superiores que têm que investigar. Nós temos que defender isso aqui com unhas e dentes, independente se eu gostar do Deputado Josimar. Eu não gosto dele enquanto político. Enquanto pessoa, não tenho relação pessoal, mas sou defensor de prerrogativas, porque, se a gente baixar as nossas calças aqui, a gente sabe bem o que vai acontecer. E nós temos é que nos levantar juntos, sabem por quê? Porque esta Assembleia precisa continuar tendo o direito de respeitar os direitos das pessoas, como hoje a gente subiu para repudiar o ataque que a Vereadora Katiane sofreu, em Pedreiras, como a feirante, em Paço do Lumiar, que foi agredida violentamente pelo filho do presidente da feira. Então, todas essas situações, se a gente começar a ficar com medo, achar que nós somos pequenos, nós somos Poder Legislativo e as pessoas vão nos respeitar aqui sim.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO - Eu quero agradecer a Vossa Excelência pelas palavras. Vossa Excelência colocou, de forma bem oportuna, Deputado Yglésio, haja vista que nós sabemos que Vossa Excelência não tem essa harmonia política com o Deputado Josimar de Maranhãozinho, mas Vossa Excelência coloca essa situação isolada, por quê? É justamente o que eu venho cobrando aqui, é justamente o que eu estou pedindo aqui. E o que me chama atenção, depois desses atos de invasão na casa do Deputado Josimar de Maranhãozinho, de forma abusiva e, principalmente, de forma cinematográfica, haja vista que já tinha, Deputado Carlinhos Florêncio, câmaras instaladas de vários ângulos, drones, helicópteros, ou seja, parecia um filme de guerra de Hollywood. Então, quero aqui também, Presidente, até que V. Ex.ª me conceda mais tempo, haja vista que o momento é oportuno e importante. Ao Deputado Hélio Soares o aparte.

O SENHOR DEPUTADO HÉLIO SOARES (aparte) - Os cumprimentos a V. Ex.ª, extensivo à Mesa que permite, neste momento, o aparte. Deputado Vinícius, eu já havia feito esse registro que V. Ex.ª faz com bastante conhecimento e eficácia com relação ao evento feito pelo nosso partido, em Bacabal, que foi realmente um sucesso total. Nós agradecemos ao prefeito daquela cidade que fez a abertura e que oficializou o evento, como também ao nosso Presidente da Câmara, lá de Bacabal. Enfim, foi um evento político, não podemos dizer que não foi, porque foi um evento político, embora interno, para expressar o nosso sentimento, a nossa vontade e usando a nossa prerrogativa no exercício da democracia, nosso exercício democrático de direito, em cada vontade, em cada sentimento do parlamentar ou do cidadão comum. Então, nós agradecemos por esse evento, mas o que nos chama a atenção, Deputado Vinícius, é que, logo depois desse evento, eu não vou poder falar processo, até porque não tenho conhecimento, só sei que essa firma não participou de licitação nenhuma de serviços públicos, eu tenho que ver o processo para poder me posicionar, uma vez que nem advogado sou, mas sou Presidente do Partido Liberal, que V. Ex.ª é filiado, e com muita honra eu faço isso, e é muito estranho que essa operação tenha sido feito de uma maneira relâmpago e, temos que ver as prerrogativas, como o deputado Yglésio falou, que esta Casa também tem que se posicionar, para ver o corpo jurídico, para ver se tem algum erro, como é que está, e quem tem problemas, eu não vejo nada contra, porque responder, ir lá, se defender, justificar, ser punido, é uma condição normal, mas eu acho, Deputado Vinícius, que os Poderes, a maior virtude dos homens que exercem determinados Poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário, é saber os limites de cada prerrogativa, os limites de cada cidadão, os limites daquilo que nós exercemos, nós não podemos puxar para cima da gente, um sentimento de parcialidade, de maneira nenhuma, não estou aqui julgando ninguém, estou só me solidarizando com V. Ex.ª, com o Deputado Josimar de Maranhãozinho, com a nossa querida Deputada Detinha, que eu achei estranho também, mas nosso setor jurídico está avaliando, está tomando pé da situação, sem qualquer precipitação, sem tomar uma posição no afã de se defender, estamos fazendo isso com muito cuidado, com muita calma, para que nós não ofendemos ninguém também, mas eu o parabenizo pelo momento oportuno de fazer esses 02 registros, que a Casa tem que posicionar também, com relação às prerrogativas, não só do parlamentar, mas do cidadão comum, porque os direitos são feridos, generalizados, e nós não podemos verdadeiramente permitir isso, muito obrigado, Deputado Vinícius.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO - Eu que agradeço a V. Ex.ª pelo aparte, Deputado Hélio Soares, quero aqui que registre nos Anais desta Casa, quero aqui também passar a palavra para o Deputado Fábio Braga.

O SENHOR DEPUTADO FÁBIO BRAGA (aparte) – Existe o princípio constitucional, qualquer pessoa pode ser investigada, qualquer pessoa pode ser pesquisada pode ser feito qualquer análise, mas existe também o princípio do contraditório, o princípio que deve ser respeitado e também em um regime democrático, ninguém é culpado antes que transcorra o processo normal que possa levar uma condenação. O entendimento mais fácil que a gente tem que entender de qualquer caso é que tem que ser respeitado o ordenamento jurídico do país. E ele é bem claro, as prerrogativas de deputado, de governadores, de prefeito, de autoridades públicas têm que serem preservadas e entendo que toda e qualquer Casa Legislativa ou Executiva ela está passível de investigação, passível de fazer qualquer análise que se possa levar a uma investigação, a condenação de alguém. Mas é importante que se respeitem os ritos, as prerrogativas, uma vez não respeitado isso, você está atentando às normas jurídicas, os ordenamentos jurídicos. É bem claro que qualquer político hoje é passível de qualquer investigação, qualquer prefeito, vereador. E aí nós temos inúmeros casos pelo Brasil, mas a gente também tem que garantir a esses políticos, como qualquer cidadão, o direito da ampla defesa, o direito de ser respeitado seus direitos. Como o Deputado Yglésio falou, quando se perde esse rito no ordenamento político, ele geralmente cria um transtorno danado, pois há anulações de procedimentos. Depois de ter manchado a imagem da pessoa, o que é irrecuperável, então, a gente entende que a melhor maneira de os agentes de segurança, os agentes públicos que tratam do judiciário é o respeito às normas antes de ser feito qualquer procedimento a esse respeito. Entendo que o caso do Deputado Josimar, no caso da Deputada Detinha, devem ser analisadas as prerrogativas que eles têm, não dizendo ou desmerecendo qualquer maneira de investigação. O que está se fazendo é que os procedimentos têm que ser respeitados, assim como qualquer cidadão. Hoje nós vemos, diariamente, violações que são feitas por órgãos ou entidades para a segurança que deveriam preservar, pelos direitos e garantais de cidadãos desrespeitados da maneira mais fácil. Por quê? Porque nós entendemos que, num regime democrático, obedecer ao cumprimento das leis, observar isso é o que é mais interessante. Num regime ditatorial, num regime de exceção, em um regime anárquico, esse respeito não tem garantia, porque a gente vê, por exemplo, em um país como o nosso, em uma tradição democrática, não pode se fazer o mesmo que um Afeganistão faz quando o Talibã chega ao poder e desrespeita qualquer direito e garantia das pessoas. Aqui têm que ser obedecidos os rituais, os procedimentos, as normas jurídicas, para que se possa respeitar o princípio democrático. Portanto, Deputado Vinícius, é interessante o seu pronunciamento. O aparte feito pelo Deputado Yglésio no sentido de que a gente coloque cada coisa no seu lugar. Investigar no momento certo, investigar por motivo certo, mas investigar e fazer também se cumprirem os ordenamentos jurídicos, uma vez que toda essa investigação pode ser passiva de nulidade por conta da fragilidade que foi feita na hora dos procedimentos. Então, tem que ter, além da coerência, o respeito a esses procedimentos.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Muito obrigado ao Deputado Fábio Braga.

O SENHOR DEPUTADO WELLINGTON DO CURSO – Deputado Vinicius, Deputado Wellington do Curso, me conceda um aparte por gentileza?

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO - Quero aqui agradecer as palavras do Deputado Fábio Braga. Eu vim a esta tribuna exatamente, senhores deputados, trazer esse entendimento à tona que V. Ex.ªs estão explanando. Deputado Wellington do Curso.

O SENHOR DEPUTADO WELLINGTON DO CURSO (aparte) – Deputado Vinícius, mais uma vez, muito obrigado por me conceder o aparte. Eu já havia falado, durante o meu pronunciamento, eu só quero deixar bem claras três observações: a primeiro delas, há mais ou menos duas horas, o Desembargador Guerreiro Júnior, que é ex-presidente do Tribunal de Justiça, ex-corregedor do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão, então é um desembargador que tem conhecimento jurídico, que tem respeitabilidade no meio jurídico no Estado do Maranhão, publicou na sua rede social: “Deputado federal fora de prerrogativa de função. Competência: a competência do Supremo Tribunal Federal, quando da possibilidade de envolvimento de parlamentar em ilícito penal, alcança fase investigação materializada pelo desenvolvimento do inquérito”, ou seja, Deputado Vinícius, vou trazer só à memória de V. Ex.ªs. Quando surgiu a operação da Polícia Federal para investigar os desvios de recursos públicos do Governador Flávio, ele logo disse: “Não é recurso federal, a Polícia Federal não pode fazer nada. O recurso é estadual. Quer dizer que o recurso estadual, ele pode desviar? Pode se locupletar? Cadê os dezoito milhões roubados, desviados na saúde do Governador Flávio Dino? Cadê os respiradores? Cadê o dinheiro dos respiradores? Ninguém, diz nada. Todo mundo fica calado. Mas eu vou me ater ao tema. Os demais deputados que já se pronunciaram de forma polida, de forma educada. Eu sou enfático. Sou categórico. Essa operação ela é característica da perseguição do Governador Flávio Dino, pré-candidato ao Governo do Estado, Josimar de Maranhãozinho, por lançar sua candidatura, ter reunido prefeitos e vereadores e já ter anunciado que provavelmente fará oposição ao Governo do Estado. Então, mais uma vez, a nossa solidariedade ao Deputado Josimar de Maranhãozinho. Sem jogar flores, sem arrodeio, a operação de ontem usando inclusive o CTA, usando o CTA, gastando dinheiro público, combustível da aeronave, para fazer a operação. Operação ilegal contra um Deputado Federal. Isso mostra claramente a perseguição do Governador Flávio Dino.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Deputado Wellington, eu lhe agradeço pelo aparte, haja vista dentro do posicionamento de V.Exa., eu sei que há uma perseguição, não sei de onde vem a perseguição, que é um ato de perseguição...

O SENHOR DEPUTADO WELLINGTON DO CURSO – Eu já disse, Deputado, ele perseguiu o policial militar que cobrou respiradores, persegue o Deputado Wellington, todo dia, nesta Casa. Eu já disse, é perseguição do Governador Flávio Dino.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO – Só para concluir, Presidente, e Deputado Wellington. Então, eu sei que é um ato de perseguição, não sei de onde está surgindo esse ato de perseguição, haja vista que há hoje dentro do Judiciário ligação de pessoas ligadas a partidos políticos a pessoas que se manifestaram pra que essa busca e apreensão fosse realizada. Senhor Presidente, eu quero lhe agradecer pelo tempo, quero lhe agradecer pela oportunidade que V.Exa. deixou tanto eu passar, avançar, o meu horário como aos outros deputados apartearam. Mas agora se puder eu gostaria de pedir o Tempo da Liderança.

O SENHOR PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DEPUTADO NETO EVANGELISTA – Deputado Vinícius com o Tempo da Liderança.

O SENHOR DEPUTADO VINÍCIUS LOURO (sem revisão do orador) – Senhor Presidente, senhoras e senhores deputados, membros da galeria, internautas, telespectadores da TV Assembleia, funcionários desse Poder. Senhor Presidente, hoje, nessa quinta-feira, estamos aí num momento polêmico, acontecendo no Estado do Maranhão, mas eu também não poderia deixar de manifestar e me solidarizar à Vereadora Katiane Leite, uma Vereadora íntegra, uma Vereadora que vem trabalhando bastante em prol e em defesa da população de Pedreiras, é a única Vereadora daquela Casa que apoia o povo, que se manifesta à vontade do povo naquele Parlamento. E aconteceu um fato indesejado envolvendo um vereador daquela Casa, onde naquele momento, haja vista, com suas palavras foi um momento que ele se alterou, mas nada justifica a posição do nobre vereador, a posição e a forma desrespeitando o Regimento Interno daquela Casa, desrespeitando as colegas vereadoras e principalmente, a Presidência daquela Casa, que se trata de uma mulher também. Então, eu aqui me solidarizo tanto à nobre Vereadora Katyane Leite, como também ao seu esposo, aos seus filhos e aos familiares, tanto ao esposo Cacimbão como aos familiares da nobre vereadora. Dizer que V. Exª tem recebido muitas palavras, mensagens de manifestação de solidariedade. Inclua o Deputado Vinícius Louro também nessas pessoas. Eu sei do seu trabalho, eu sei da sua perseverança, da sua luta em prol da população. É a única vereadora de oposição dentro daquele parlamento que representa o povo, haja vista que a nobre vereadora não se cala mediante às perseguições e até mesmo da forma como aquela Casa está tentando calar a nobre vereadora, mudando o regimento interno daquela Casa. Eu acho que o mínimo que a presidente daquela Casa poderia fazer, da Câmara Municipal de Pedreiras, era se pronunciar. Qual é o posicionamento dela diante do acontecido? Na Câmara de Vereadores, também a prefeita municipal de Pedreiras se manifestar, haja vista que é mulher. No entanto, como a vereadora não faz parte do seu grupo político, deixa aí a la volontê. A Secretaria da Mulher do município de Pedreiras não se manifestou, porque, Deputado Hélio Soares, independente da opção política da nobre Vereadora Katyane Leite, ela é ser humano e é mulher. O que a gente vê hoje, no Brasil inteiro, está aí o Congresso Nacional aprovando leis de proteção às mulheres, colocando, incentivando e apoiando as mulheres nas políticas públicas, e aí o que eu vejo é uma cidade de rancor, de ódio, de perseguição, que é a cidade de Pedreiras. Num momento como esse, podendo se manifestar, mas por se tratar de uma vereadora de oposição, tenho certeza de que ela está sofrendo muitas retaliações. V. Ex.ª imagina, Deputado Neto Evangelista, toda a Câmara da base do governo defendendo o interesse do governo e a única vereadora fazendo oposição, Bráulio que faz parte da Mesa Diretora, imaginem. Então, ela está sofrendo essa perseguição. Os vereadores estão ficando chateados com ela, achando que ela está botando o povo contra a Câmara. Quem está colocando o povo contra eles são eles mesmos que estão votando projetos absurdos, projetos contra a população, contra o povo. A vereadora está fazendo o papel dela, porque ela foi eleita para defender a população. Então eu quero e peço que, primeiro, a presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, que é mulher, se manifeste. Eu quero também que a Comissão de Ética daquela Casa se manifeste e quero também que a Secretaria da Mulher do Município de Pedreiras, a Prefeita de Pedreiras se manifeste também, porque hoje nós não estamos tratando de aliados, hoje estamos tratando de um ser humano, de uma parlamentar, de uma mãe de família que sofreu esse tipo de ato, fazendo parte da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pedreiras. Muito obrigado, Senhor Presidente.

+ Notícias
banner-ouvidoria
banner-whatsapp

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO MARANHÃO

Palácio Manuel Beckman - Av. Jerônimo de Albuquerque - Sítio do Rangedor - Calhau
São Luis - Maranhão - CEP: 65071-750

TELEFONES ÚTEIS

(98) 3269-3000 | 3269-3001

AGÊNCIA ALEMA